sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Felicidade extrema


Era uma sexta-feira. Era início do ano 2000. Eu já tinha prestado outros dois vestibulares porém ambos para o curso de Direito, da Universidade Federal de Alagoas (Ufal). Logicamente levei bomba em ambas as chances até que um dia um colega meu me sugeriu tentar o curso de Jornalismo.

Durante um ano inteiro escondi esse segredo até de meu pai, apenas minha mãe e minha namorada da época sabiam de minha mudança. Chegando famigerado dia do resultado, entoquei-me na casa de Vanessa Barros (minha namorada na época). Quando o Dimitre Alves (locutor oficial da Copeve da época) começou a anunciar os nomes meu coração quase saia pela boca. Mãos e pés gelados. Inquieto não sabia como me portar. Foi então que sentei no sofá e começei a rezar e disse que se fosse aquele meu destino..."que seja".

Começa a lista do curso de Jornalismo Diurno. Gelei ainda mais...abraçei-me com Vanessa e esperei o pior. A expectativa quase me mata. os nomes de meus amigos, que até então eram meros nomes desconhecidos, passavam desapercebidos...chega a letra "C"..."Carlos Eduardo Epifânio da Silva", disse o locutor. Eu ainda abraçado grito em desabafo.

Foi uma das maiores sensações que senti até agora. Escrevendo esse post ainda me emociono. Recordo do que tive que abdicar para estudar e alimentar um sonho. Que alívio. Saí correndo pela cidade pra ir pra casa e encontrar com meus pais. Minha mãe estava na porta conversando com uma amiga. Entro como um raio...ela já tinha percebido e me abraça em prantos.

Mainha liga pra meu pai. O velho quando estacionou na porta de casa não conseguiu disfarçar, mas não chorou em minha frente, foi ao banheiro se derramar em lágrimas. Pegamos o carro e fomos pra Praça Sinimbu...Não queria saber o que me aguardava. Chegando lá fui comprar meu kit do fera e fui logo pego de assalto por um estudante de Agronomia (já conhecia algumas pessoas do curso). Fui arremessado em uma caixa d'água com tudo menos água limpa - Deus sabe o que tinha ali dentro.

Partimos para Satuba. Fechamos a cidade, eu e alguns amigos que igualmente conseguiram ingressar na universidade fizemos uma carreata na cidade. Foi uma comoção na cidade. Hilário! Quanta alegria.

Escrevi tal post por que mais uma vez o resultado do vestibular me empurra para um passado gostoso de lembrar. Bom demais. Parabéns aos aprovados e espero que dentro da universidade sejam arautos do conhecimento. Busquem, não esperem, corram, lutem por algo sempre melhor e aproveitem, aproveitem, aproveitem. Certamente estes serão os melhores anos de sua vida.

Depois conto o que aprontamos na Ufal e em especial no Departamento de Comunicação. O Cos jamais foi o mesmo....

Um comentário:

  1. Eita que esse texto me deu uma saudade enorme dos tempos de COS.

    ResponderExcluir